Metalúrgicos tiveram os maiores reajustes do RS em 2019

Os trabalhadores do setor metalúrgico, mecânico e de material elétrico conquistaram, em média, 0,62% de ganhos reais (acima da inflação), o maior percentual do Rio Grande do Sul no ano passado. Já nacionalmente, os metalúrgicos ficaram com o segundo maior ganho, de 0,56%, atrás apenas dos trabalhadores de segurança e vigilância, que tiveram 0,63% de aumento real.

As informações foram divulgadas na matéria “Menos acordos no RS com ganhos acima da inflação”, publicada na edição de segunda-feira (3), do jornal Zero Hora. A reportagem apresenta dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) e destaca que, na média, as negociações acabaram com reajustes de 0,27% acima da inflação.

“Além de termos conquistado o maior ganho real do estado, o nosso percentual é duas vezes maior que a média geral”, salienta o presidente da Federação dos Trabalhadores Metalúrgicos do RS (FTM-RS), Lírio Segalla.

Para ele, o resultado demonstra a importância das entidades sindicais nas negociações com os patrões. “Quanto mais organizada é uma categoria, mais forte são as entidades que a representam, o que é de grande importância para garantir bons reajustes, com aumentos reais”, declara Lírio.

A matéria destaca também que a redução nas negociações com aumentos reais aconteceram em todo o país, com o índice baixando de 75% para 49,9%, e aponta que isso se deve “a perda de poder dos sindicatos”, devido à reforma trabalhista aprovada no governo Michel Temer (MDB).

“Com o fim do imposto sindical, sem dúvida muitas entidades sindicais foram prejudicadas. Porém, as que sempre fizeram um bom trabalho na base e pela categoria conseguiram se manter fortes, respeitadas pelos sindicatos patronais e com negociações que melhorem a vida dos trabalhadores, como é o caso da Federação”, afirma.

Confira a matéria da Zero Hora aqui.

Fonte: FTM-RS